É tempo de unidade!

Marta Roque

 

As recentes manifestações dos jovens frente à Sorbonne devem ser motivo de reflexão para a nossa sociedade Europeia.

 

Numa altura em que a Europa deve estar unida face as divergências económicas, políticas e culturais que tem sofrido com a Globalização, surgem feridas que não ajudam a manter a coesão do velho continente.

Cerca de 120 mil jovens exigem a suspensão da nova lei laboral - aprovada na semana passada pelo Parlamento francês - que permite a demissão de jovens com menos de 26 anos, ao fim de dois anos de trabalho, sem justa causa.

 

A praça da Universidade foi «tomada» pelos manifestantes, que arrancaram pedras dos passeios para utilizá-las como projécteis contra a polícia.

 

Estes jovens sentem-se em missão de protesto nesta medida do governo, mas será legítimo este tipo de manifestações?

 

 Escandalizamo-nos com os extremismo que grassam no Ocidente e Oriente perante faltas de liberdade de expressão dos povos. Mas devemos recordar que a velha Europa está assente em valores de respeito pela dignidade humana e de tolerância por todas as pessoas e credos. Será assim que damos exemplo às outras culturas que procuram refugio no nosso continente?

 

Afinal o que leva esta gente nova a revoltar-se deste modo? Será que a injustiça social é um valor em si mesmo que provoque esta situação? Devemos questionarmos sobre o caminho que estamos a construir para o futuro, que valores  são esses que estamos a passar aos jovens  com o desenvolvimento tecnológico e a liberalização de mercado? De que forma se envolvem estes jovens na participação da sociedade? É importante mostrar -lhes que é possível lutar pelos direitos laborais de uma forma digna sem agredir, tendo como base a justiça, a liberdade de expressão e acima de tudo aprender a esperar pelas boas resoluções do diálogo, algo que está a fazer falta nos tempos que correm.

 

O mundo está em amplo desenvolvimento económico, mas não nos podemos esquecer de acompanhar esta evolução com as necessidades dos trabalhadores, especialmente dos jovens que precisam de estabilidade para aprenderem a lidar com as exigências do mercado de trabalho. De facto, a Europa sempre soube superar as suas adversidades através dos tempos, também este é um momento em que nos é pedida unidade para enfrentar, em conjunto, mais um passo na Historia.