PREOCUPAÇÕES NO USO DA INTERNET


Todos os dias aumenta o número de utilizadores da Internet devido à quantidade de informação disponível, seja de carácter cultural, lúdico ou, simplesmente de informação geral

Contudo, se a força da Internet é a sua enorme diversidade, esta mesma diversidade engloba, igualmente, a pornografia, o ódio racial e a possibilidade de contacto com desconhecidos que podem influenciar negativamente mentes mais jovens e, naturalmente, menos selectivas.

Gera-se, assim, a necessidade do apoio dos pais e educadores aos jovens “cibernautas”, procurando ou pelo aumento do seu espirito crítico ou pela utilização de meios tecnológicos disponíveis, filtrar os aspectos mais negativos que a Internet também oferece.

O “Committee on Comunications” do Conselho Episcopal Católico dos Estados Unidos emitiu uma declaração neste sentido de que se destacam alguns conselhos para usar a Internet em segurança:

- Gaste tempo a educar-se sobre o uso da Internet - está a investir na segurança e na saúde dos seus filhos.

- Escolha um Internet Service Provider (ISP) que ofereça a opção ISP - acesso filtrado.

- Coloque os computadores com acesso à Internet numa zona pública da casa - e nunca num quarto ou num canto escondido.

- Passe tempo na Internet com o seu filho, mesmo que não seja mais do que um aprendiz interessado - e é capaz de ficar espantado com o que se diverte.

- Encoraje os seus filhos a pensar sobre o que encontram na Internet e a perguntarem-lhe, por exemplo, quando encontrarem informação católica que não lhes soe igual ao que aprenderam na igreja, em casa ou na escola.

- Dê preferência aos bons sites e ao bom material disponível.

- Vá ensinando os seus filhos a usar o E-MAIL com responsabilidade. Se for usada como deve ser, é um aspecto da Internet tanto útil como divertido.

- Encoraje os seus filhos a chamarem a sua atenção para o que quer que se lhes apresente como questionável, e elogie-os quando o fazem.

- Acautele os seus filhos em relação a fornecerem na Internet qualquer tipo de informação pessoal - tal como nome, direcção ou telefone - seja a quem for, sem o seu consentimento, e a nunca enviar o seu retrato.

- Diga-lhes para nunca preencherem inquéritos que encontrem na Internet sem a sua autorização.

- Diga-lhes para não responderem a contactos agressivos ou insinuantes e a todo o tipo de sugestões que os deixe pouco à vontade - e para lhe comunicarem, se tal acontecer.

- Não autorize encontros frente a frente com pessoas que eles tenham conhecido na Internet, a não ser que haja uma razão válida para o fazer e que esteja presente alguém da sua inteira confiança.

- Não se exalte se os seus filhos lhe mostrarem alguma coisa pouco própria, pois eles podem ficar intimidados e não tornar a mostrar-lhe essas coisas.

- Não subvalorize a importância dos discos ocultos (hidden disks) - a tendência é para que o material pornográfico ou portador de ódio circule dissimuladamente.

- Lembre aos seus filhos que estas regras são válidas para quaisquer outros computadores que eles possam usar sem ser em casa, como, por exemplo, numa biblioteca.

- Sobretudo, comunique com eles. A melhor protecção é um bom relacionamento e uma vida de família saudável e cristãmente vivida, uma família em que todos os membros conversam uns com os outros e rezam em conjunto.