hi5: Ignorar o Elefante na Sala de Estar?


 

Tito de Morais

 

 

Por estes dias, a propósito dos workshops "hi5ParaPais", alguns jornalistas têm-me perguntado o que me motivou e levou a realizar esta série de workshops. O curioso é que a motivação foi você. Sim, você que está a ler estas linhas neste momento. Veja porquê e com certeza descobrirá razões suficientes para não deixar de participar.

 

 

 

Segundo dados do Alexa Traffic Ratings, o hi5 é o segundo domínio com mais tráfego a partir de Portugal, logo a seguir ao Google. Estes dados são, de alguma forma, confirmados pelos resultados recentemente divulgados relativamente ao estudo Netpanel da Marktest.

 

Este estudo, reportando-se 97% dos portugueses residentes no Continente, com quatro e mais anos, que usaram a Internet a partir de casa durante o primeiro semestre de 2008 indica o hi5 como o nome de domínio:

q  Líder ao nível de páginas visitadas, com perto de 3,6 milhões de páginas visitadas ao longo do semestre

q  A que os portugueses dedicaram mais tempo, totalizando quase 21 milhões de horas e 3º ao nível do tempo despendido por utilizador, com 9 horas e 44 minutos por utilizador no semestre em apreço

q  Oitavo site ao nível do número de utilizadores únicos

 

Por outro lado, ainda segundo resultados relativos a este mesmo estudo, a expressão "hi5" ocupa a 2ª posição das pesquisas mais frequentes realizadas por 529 mil internautas portugueses, ou seja, 17,5% do universo alvo do estudo, sendo apenas superada pela expressão "YouTube".

 

Por fim, o próprio hi5 afirma que 43% dos seus utilizadores têm entre 15 e 24 anos. Isto apesar dos seus termos e condições referirem os 13 anos como idade mínima para aderir e sendo certo que muitos jovens de idade inferior a esta, mentirem para poderem aderir.

 

O Elefante na Sala de Estar?

 

À luz destes números, como pais, encarregados de educação, professores, pediatras, psicólogos, assistentes sociais, responsáveis de biblioteca, espaços Internet e outros profissionais que lidam com adolescentes ou pré-adolescentes, será que nos podemos dar ao luxo de ignorar o hi5? Acho que não.

 

Ignorar o hi5, é ignorar uma parte cada vez mais importante da vida dos nossos filhos. É tentar ignorar o elefante na sala de estar ou, em alguns casos - espero que cada vez menos - nos quartos dos nossos filhos. E a julgar pelo feedback que vou obtendo dos leitores, provavelmente também partilha desta opinião. Mesmo desconhecendo os números que referi acima.