Quem somos
Temas
Intervenção
 

Por Fátima Fonseca

15 de Outubro de 2004



   O contraditório, o contraditório...o contraditório?!!! ( onde é que eu já ouvi falar disto nestes últimos tempos???) . Ah, “ O Princípio do Contraditório”, pois !

Mas enquanto todos falam disso e dos porquês do mais famoso comentador de televisão dominical que bateu a porta e se calou de repente, ao fim de quatro anos e meio de ácidos e argutos comentários com que mimou diferentes Governantes e todo o panorama político da esquerda até à direita,  passando pelo centro, eu cá, se não se importam, antes queria falar de outros “contraditórios” - por que não chamá-los assim? - uns contraditórios de que ninguém fala...

Por ex. ele  há gente que bebe álcool, do mais fino ou do pior, sem conta, nem medida, e depois pega no volante e fica muito admirada de causar acidentes e ficar em mau estado, ou matar outros pacíficos e desgraçados condutores e ir parar à prisão !

 Há gente, também, que quer fumar maço de tabaco atrás de maço, toda a vida, mas não quer ter cancro no pulmão, nem sequer uma simples bronquite!

 E há quem adore comer doces e guloseimas a toda a hora, mas não quer nem ouvir falar de quilos a mais, nem caries , nem diabetes!

 Também há quem devore gorduras e petiscos, noite e dia, sem parar, não para estar vivo, mas por pura gula ( e “stress”, dizem!), e depois fica muito admirado com a subida do colesterol, a hipertensão arterial e a ameaça de enfartes...e depois,- só para não vos cansar com muitos outros contraditórios e contradições-  ...ainda há quem queira , por exemplo, mudar de marido ou  de mulher, pseudo - namorada/ - namorado ou o que lhe quiserem chamar, como quem muda de camisa, andar por aí a dar espectáculos de mau gosto e ao mesmo tempo, manter uma excelente reputação, e não correr o risco de contrair doença alguma, nem ver-se a braços com gravidezes inesperadas; e se houver gravidezes inesperadas e indesejadas, ( apesar de toda a  panóplia de contraceptivos !), há quem ande por aí a garantir que isso não é ficar à espera de bebé nenhum,  é só ficar à espera de uma “coisa” indesejável, assim uma espécie de tumor vindo não se sabe donde nem como, mas que o que é preciso é “deitar fora” essa  pobre “coisa”  depressa, com a ajuda do Estado, dos médicos e enfermeiras, num hospital e numa maca acolhedora e garantidamente certificada de acordo com todas as normas europeias de higiene e segurança...(aliás, serviço naturalmente pago pelos impostos de todos nós, os que ainda os costumamos pagar...mesmo que para isso continuem muitos doentes à espera de vez e cama para serem operados a doenças reais ...).

Pois bem, eu costumo dizer que “o meu m2” é para dizer bem e não quero alongar-me, mas as contradições do nosso mundo são já tantas, que tanta guerra à volta do tal contraditório já me parece demais, sobretudo quando há tanto por fazer neste nosso país e tanta gente aparentemente mais empenhada em não deixar fazer coisa nenhuma !

 

Felizmente, contudo, há sempre muitas coisas boas para contar! E não vou terminar, sem vos falar de um acontecimento inédito, de que já há algum tempo vos queria dar notícia!

Imaginem só, que este Verão, à semelhança de uma experiência do mesmo género que tem vindo a ser realizada na Galiza há vários anos, um grupo de casais portugueses com os seus filhos, na sua maioria famílias numerosas, num total de cerca de 100 pessoas, vindas de diversos locais e trazidas por amigos,  tomaram a iniciativa de se juntarem e passarem 15 dias de férias na Serra da Estrela, lá para os lados de Manteigas. Procuravam não só amizade e um são convívio,  férias diferentes e distantes das rotinas habituais, com passeios de aventura e descoberta, banhos nas lagoas e desportos radicais, como também  aproveitar para assistir a  algumas sessões de “Formação Parental”, com temas  de reflexão e debate sobre Educação dos  filhos e desafios do futuro!

O “professor”, o Luís ( Mestre em Orientação Familiar pelo Instituto das Ciências da Família, da Universidade de Navarra , e com grande experiência destas férias “ Un Verano diferente”, em Espanha) , e o coordenador, o Ramiro (um economista das Caldas da Rainha), qualquer deles casado e pai de filhos de diferentes idades, parece que não terão conseguido descansar grande coisa (segundo informações fidedignas!), mas o resultado, ao que dizem, foi tão bom, que no dia seguinte ao regresso já havia quem quisesse inscrever-se de novo, no próximo “ Verão diferente”! Ah, esquecia-me de dizer, que os organizadores foram vários, e tiveram uma autêntica “ trabalheira”, ao longo do ano, durante todo o tempo de encontros e viagens preparatórias, para convencerem  o Cenofa- Centro de Orientação Familiar- a dar a cara e o apoio necessário ao acontecimento ... Bem-hajam! Valeu a pena correr riscos com a vossa ajuda! Com cabeça e com audácia!

Esperemos que para o ano haja mais e que entretanto, ao longo do Inverno e Primavera que se aproximam, consigam fazer os tais fins-de-semana em família, com que muitos já estão a sonhar, para reciclagem de formação Parental e bom convívio, por esse Portugal!

Os pais e as crianças agradecem, porque se todos – pais e professores- educarmos melhor,  daqui a uns anos, o nosso país  poderá deixar de constar da triste cauda das listas europeias de luta contra o insucesso escolar, iliteracia, gravidezes, acidentes rodoviários, sida e outras doenças,  com que actualmente nos enfrentamos quase diariamente.

O segredo está na Educação!!! Mas alguém duvida?