Quem somos
Temas
Intervenção
 

Por Fátima Fonseca

30 de Novembro de 2003



   Quero dormir e não consigo... A pressão dos últimos dias de preparação do Congresso na Universidade Católica, agora terminado, ainda perdura. Mentalmente vou passando o filme dos acontecimentos recentes...

  Na verdade, o mínimo que vos posso dizer é que este fim -de- semana foi particularmente frutuoso do ponto de vista “alimentar” !!!

   Por um lado, uma mão cheia de jovens e menos jovens ,empenhados em juntar comida para os mais necessitados, com apoio de várias empresas e de inúmeros populares anónimos, foram a face mais visível do Banco Alimentar , à porta de tudo quanto era supermercado. Com a sua generosidade, idealismo e juventude, foram um bom exemplo de solidariedade e excelente início de Advento!

  Por outro lado, simultaneamente, dez Associações Católicas ( Assoc. das Famílias Numerosas, Vida Universitária, Juntos pela Vida, Associação Mais Família, Mulheres em Acção, Associação Famílias, Assoc. Médicos Católicos, Movimº de Schoenstatt, Focolares e Cenofa ), particularmente sensíveis aos temas mais problemáticos da Família, juntaram - se e uniram esforços para levar a cabo um Congresso na Universidade Católica – “A linguagem corporal do Amor numa visão integral do Homem”- face não menos visível , por assim dizer, de um “outro Banco Alimentar” - a Igreja - enquanto fonte permanente do alimento espiritual que é a doutrina católica.

  Efectivamente, quando se olha à nossa volta, o panorama de solidão, separações e divórcios, violência doméstica, abuso e abandono de crianças e idosos, com todo o sofrimento que isso implica, quando se lêem essas e outras estatísticas sobre quebra de natalidade no mundo ocidental, bem como de abortos e gravidezes de adolescentes, é impossível que não nos ocorra que “nem só de pão vive o homem” e que para lá da fome material real existente, não só nos países em vias de desenvolvimento, como também nas chamadas bolsas de pobreza do mundo desenvolvido, existe na realidade, uma não menos gritante fome de formação ou educação integral, que para lá da instrução nos vários campos do saber, abarque o demasiado esquecido campo moral e espiritual.

  Quando nos chegam notícias alarmantes de que diariamente surgem 14 mil novos casos de sida no mundo inteiro, dos quais 2.000 são crianças com menos de 15 anos( como se refere neste último Expresso), o número de abortos cometidos , o dinheiro investido em contracepção e os lucros obtidos pelas multinacionais que a este negócio se dedicam, percebemos talvez, com mais facilidade- mesmo que não sejamos cristãos ! - que para além de todas as possíveis leituras políticas e socio-económicas , a forma egoísta e irresponsável como se vive a Sexualidade, aqui e agora, é capaz de ser uma das causas mais profundas de tanto mal-estar e que por isso urge ser repensada à luz dos valores cristãos e dos novos dados à vista .

  Talvez se descubra também, que aquilo que tantas vezes tem sido olhado e apregoado, desde os anos 60, como a “miraculosa” chave da libertação da mulher – a pílula- tem tido, seguramente, muito mais efeitos perversos do que se suspeitava, tanto no campo do bem-estar e saúde física e psicológica da mulher, como no funcionamento e estrutura actual das famílias e sociedade ! Foi esta aliás, uma das questões centrais abordadas pelos brilhantes conferencistas do Congresso, mas não só!

  Janet Smith e Cristopher West, dos EUA, Philip Boyle , da Irlanda, Montserrat Rutlant, de Espanha, e Maria Luisa di Pietro, de Itália, cada um com o seu estilo muito pessoal e a sua formação no campo da Bioética - médicos, filósofos e teólogos- vieram a Portugal a convite daquelas Associações , para juntamente com o Padre Duarte da Cunha , falarem sobre a Teologia do Corpo, proposta pelo Papa João Paulo II, a uma multidão de gente interessada, que praticamente durante dois dias encheu o Auditório Cardeal de Medeiros da Universidade Católica . Esta Catequese apresentada há alguns anos, como uma nova perspectiva da Sexualidade Humana, em resposta ao pedido de Paulo VI na Encíclica Humanae Vitae ,de uma visão integral do Homem , tem sido praticamente ignorada e bem merecia ser tema de um Congresso, que em boa hora agora teve lugar.

  Os conferencistas trouxeram factos e números, dados e investigações, e demonstraram com argumentos actuais e racionais, acessíveis a católicos e não-católicos, como a Igreja sempre teve e tem razão em pedir e propôr uma nova cultura, com um novo estilo de vida e uma urgente mudança de mentalidades também no que se refere à Vida, à Paternidade responsável e aos métodos naturais de Planeamento Familiar. Seguramente que em Portugal, nunca até hoje se ouviu falar tão abertamente em defesa de Planeamento Familiar Natural e da Sexualidade numa visão integral do ser humano como durante estes dois dias !

  Tal como ali foi dito, talvez uns quantos se tenham rendido à evidência, muitos tenham ficado perplexos, outros nem concordem totalmente , e outros ainda reconheçam que é um desafio possível, mas demasiado exigente e difícil ... No mínimo, porém, o que ali se ouviu foi por certo extremamente interessante, esclarecedor e inovador, e ficou ali bem patente que não só é praticável e praticado, como vivido com resultados bem positivos para a felicidade e união familiar, pelos testemunhos de vários casais portugueses e de um casal italiano igualmente convidado.

  Afinal de contas, o ser humano não nasceu para rastejar como um qualquer outro animal, nem para se deixar guiar pelo instinto apenas. Temos Inteligência e Dignidade, Liberdade e Vontade, e uma capacidade imensa de Ternura. Porquê vivermos então como animais ?

  Alguém poderá ter a tentação de dizer que isto é conversa de sacristia e beatice, própria da idade da Pedra...cabe porém, aos cristãos do nosso tempo, sermos de novo revolucionários - como foram os primeiros cristãos no tempo dos Romanos- e testemunhas alegres e corajosas , da Verdade libertadora do Evangelho.

   E m2 a m2, faremos um mundo melhor!