Teste Comparativo de Programas de Filtragem

 


Por Tito de Morais

 

 

 

No último ano do seu projecto de três anos, a Deloitte efectuou novamente um estudo comparativo de 26 ferramentas de controlo parental. O estudo analisou a eficácia destas soluções tecnológicas ao nível da protecção de crianças entre os 6 e os 16 anos contra conteúdos danosos na Internet. Cerca de 140 pais e professores de diversos países europeus estiveram envolvidos no estudo que foi suplementado por testes desenvolvidos em laboratório.

 

Antecedentes
Este estudo, independente de fornecedores/fabricantes, é uma análise especializada e objectiva dos programas e serviços de filtragem de conteúdos actualmente disponíveis. Foi desenvolvido ao longo de três anos através da análise comparativa anual de cerca de três dezenas de produtos e serviços de controlo parental.

 

O estudo visa fornecer orientações a pais e educadores, melhorar o conhecimento deste tipo de soluções e promover boas práticas. A cada edição foram fornecidas recomendações para produtos futuros tendo em vista orientar fabricantes e prestadores de serviços neste domínio.

 

A análise incidiu na eficácia, usabilidade, configurabilidade, transparência e adequabilidade ao contexto cultural europeu. Para além disso, a análise foi segmentada em dois escalões etários (abaixo e acima dos 10 anos de idade) no sentido de lidar com os diferentes tipos de risco e requisitos específicos de cada grupo etário. Os resultados relativamente ao ano de 2008 foram recentemente publicados e fornecem indicações importantes para pais e educadores poderem escolher e usar soluções de filtragem adequadas, alertando simultaneamente para as suas funcionalidades e limitações.

 

Soluções Analisadas

As 26 soluções tecnológicas analisadas enquadram-se em três grupos:

Soluções para utilizadores finais (17)

Este tipo de solução, baseiam-se em programas que se destinam a ser instalados nos computadores dos utilizadores finais, sendo por conhecidas por cliente. Tratam-se basicamente de programas que podem ser instalados em computadores pessoais usados em ambientes domésticos.

Soluções para servidores (6)

Este tipo de soluções baseiam-se em programas desenvolvidos para servidores, logo indicados para redes de computadores como, por exemplo, escolas, bibliotecas, espaços Internet, etc.

Serviços (3)

As soluções testadas a este nível eram produtos de hardware, ou sejam dispositivos físicos do tipo appliance, indicados igualmente para redes de computadores. No entanto, uma das soluções aqui analisadas - AOL Parental Controls - é no meu ponto de vista particularmente vocacionada para ambientes domésticos

 

Vencedores Globais

Nas soluções para computadores pessoais (programas cliente), o Internet Security 2008 da F-Secure e o Internet Security Suite 2008 da Computer Associates são as que obtêm a melhor classificação, em ex-equo. Estas são, aliás, as soluções mais bem classificadas a nível global. Ambas obtêm apreciações positivas em todos os critérios analisados, sendo que enquanto a primeira obtêm classificação máxima ao nível do suporte para idiomas dos países da União Europeia, a segunda obtêm essa classificação ao nível da integridade da segurança.

 
O panorama ao nível das soluções para servidores não é famoso. Das três categorias de soluções analisadas, este tipo de soluções obtêm a média de classificações mais fracas. Nesta categoria, a solução ClarkConnect da Point Clark Networks é a que obtém a melhor classificação, obtendo também a classificação máxima ano nível do suporte para idiomas dos países da União Europeia.

Ao nível dos serviços, os vencedores ex-equo são as appliances Internet Security Suite da Optnet e Ethershield da InternetSafety.Com. Ambas conseguem obter duas classificações máximas. A primeira na eficácia ao nível dos conteúdos de cariz pornográfico (para menores e para maiores de 10 anos de idade) e a segunda na eficácia ao nível dos conteúdos de cariz pornográfico para menores de 10 anos de idade e ao nível da integridade da segurança.

 

Soluções Até Aos 10 Anos

Pessoalmente considero que é quando estamos na presença de crianças até aos 10 anos de idade que as soluções de filtragem fazem mais sentido. No entanto, da análise resulta interessante verificar que nenhuma das soluções testadas obteve classificação máxima ao nível da sua eficácia para crianças com idade igual ou inferior a 10 anos de idade. Mas também nenhuma obteve a classificação mínima. Assim, as soluções testadas ficam pela mediania.

 

No entanto, quando falamos na eficácia destas ferramentas apenas ao nível da filtragem de conteúdos de natureza pornográfica, então aí cinco soluções que obtêm a classificação máxima. Duas ao nível dos serviços (curiosamente appliances, Internet Security Suite da Optnet e Ethershield da InternetSafety.Com) e três ao nível dos programas para computadores pessoais (Internet Security Suite 2008 da Trend Micro, Vista Ultimate da Microsoft e SafeEyes da InternetSafety.Com). Curiosamente, nenhuma das soluções analisadas para servidores obtém classificação máxima.

 

Soluções Para Adolescentes

Quanto à eficácia das ferramentas para adolescentes com mais de 10 anos de idade, a situação piora substancialmente. De facto, se também aqui impera a mediania, assinale-se no entanto que é uma mediania no seu limite inferior, havendo mesmo uma ferramenta a obter a classificação mínima e nenhuma a obter a classificação máxima. Na eficácia ao nível da filtragem de conteúdos de cariz pornográfico, mais uma vez a solução a Internet Security Suite da Optnet é a única a obter classificação máxima.

 

A terminar, o site do projecto dispõe de versões em alemão, espanhol, francês, holandês, húngaro, inglês, italiano, polaco e sueco. Infelizmente não há versão disponível em português. Relativamente à análise deste ano, no site poderá encontrar ficheiros com o relatório de síntese, a avaliação detalhada de cada uma das soluções, a metodologia aplicada e uma tabela com um resumo sumário dos resultados. No site encontrará também informação sobre os estudos de 2007 e 2006 e informação relacionada que vale a pena consultar.